Zanzibar - as praias

December 5, 2018

“Deus: -Meu filho, você foi uma das minhas mais perfeitas criações e por isso tem o direito de escolher o paraíso onde vai descansar.

Gandhi: - Senhor, que me desculpe Varanasi minha terra sagrada, mas o paraíso que escolhi é Zanzibar.”

 

Sim, essa ilha é um paraíso, o mar mais azul de todos e uma mistura de culturas incrível!

 

Zanzibar e Pemba (as duas ilhas que formam Zanzibar) foram uma das primeiras povoações muçulmanas da costa da África oriental, lá por 1100.

Vasco da Gama chegou lá em 1499 e os português dominaram o território por séculos. Em 1698, o sultanato de Omã tomou Zanzibar, que se tornou o entreposto comercial do oceano Índico Ocidental. Em 1841, o sultão Said Ibn mudou a sua corte de Omã para Zanzibar. Entre 1890 e 1963, Zanzibar foi um protetorado britânico .

Zanzibar obteve a independência e tornou-se uma monarquia constitucional em 1963, mas o sultão foi deposto numa revolução e o país uniu-se ao Tanganica em 1964 para formar a Tanzânia.

Apesar de fazer parte da Tanzânia, Zanzibar elege o seu próprio presidente, que funciona como chefe do governo da porção insular e uma assembleia denominada "Conselho Revolucionário".

 

Deu para perceber a mistura de tudo NE?!!!

 

Além de tudo é conhecida como Spice island, pela produção de especiarias – canela, pimenta, gengibre, cúrcuma, curry, vanila e por aí vai (existem diversos Spice Tours, para conhecer as fazendas).

 

A língua oficial é o swahili e a experssão Hakuna Matata é de lá mesmo – “sem problemas”.

 

Para chegar lá existem voos diretos desde Joanarburgo, Nairobi, Addis Abeba, Dubai, além de diversos locais da Europa, ou ainda é possível ir até  Dar Es Salaam (DAR) e pegar um ferry.

 

Lá tem o Visa on arrival, que custa 50USD, mas sai rapidinho.

 

A ilha é bem grande e cruza-la não é tão simples, pois as estradas são ruins e tudo é demorado. Os hotéis oferecem transfers (pagos e caros), disseram que a polícia no geral é bem corrupta então alugar um carro pode lhe trazer problemas, nos transfers mesmo, fomos parados diversas vezes pelos policiais que faziam todas as perguntas possíveis. Ou o plano b é a dala dala, que é o transporte público, estilo um pau de arara, barato, porém torna a viagem mais demorada ainda.

 

A população é 95% mulçumana, mulheres todas cobertas, então a dica é, andar mais cobertinha (na praia obviamente não, NE?!, mas na cidade...)

 

Minha principal dica é: divida seu tempo em Zanzibar se hospedando em diferentes pontos da ilha!

 

Os hotéis em sua maioria tem café da manha e jantar.

 

Minha primeira parada foi no norte em Nungwi – li muito a respeito de ser a parte mais badalada (mas não encontrei o agito kkk).

 

Lá está a praia da areia mais branca e  mar mais incrível, ótimo lugar para tomar sol, curtir a praia, fazer snorkel e mergulhar.

 

Fechei um mergulho com a Spanish Dancers Divers e super indico, além da maravilha do fundo do mar o tempo todo encontrávamos golfinhos nadando.

 

Mais ao sul me hospedei em Bjewuu em um máster hotel SunBreezes, vale a hospedagem!

 

Por lá além de curtir a praia, snorkel, também é bom para windsurf (fiz aulas).

 

Famosas são as Pingwe e Paje Beach.

 

Cerca de lá também está a Jozani Forest, para onde saem diversos passeios para  a reserva para ver o Red Colobus Monkey, que é típico de lá.

 

 

 

Foto: https://en.wikipedia.org/wiki/File:Zanzibar_Red_Colobus_Monkey.jpg

 

A ida para Stone Town é obrigatória (relatamos em outro post!).

 

Onde comer:

(a maioria dos restaurantes está nos hotéis!)

  • Warere beach Restaurant, no Warere beach Hotel / Nungwi– tem de tudo,a maioria frutos do mar, sinceramente não achei nada demais.

 

  • The Jetty, no Hotel Essque Zalu Zanzibar/ Nungwi – vale pelo lugar, é em um píer muito lindo, a comida também era muito boa.

Nesse restaurante tive o episódio mais chato da viagem, um garçon sem noção ficou o tempo todo dando em cima de mim, de forma bem pesar e vulgar, na hora que sai ele ainda me pegou pelo braço – saí correndo de lá (acabei nem reclamando no hotel , pq só queria ior embora)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • The Rock /Pingwe Beach – é uma atração o restaurant, fica em cima de uma pedra (eu não fui :( )

 

Foto: https://www.gazetadopovo.com.br/haus/estilo-cultura/construido-sobre-uma-pedra-restaurante-e-atracao-na-tanzania/

  • Sea Breezes restaurante – delicioso com cardápio fechado, com entrada, 1° prato, 2° prato e sobremesa.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

You Might Also Like:

Uma volta por Quito

October 4, 2019

Bate-Volta em Quilotoa

October 3, 2019

1/15
Please reload

© 2023 by Going Places. Proudly created with Wix.com