Uma voltinha pela Itália

June 22, 2017

Todos os blogs relatam os motivos de viajar sozinha… e nós concordo 100% com todos eles (liberdade, autoconhecimento, novos amigos, etc)… mas ninguém conta das dificuldades (que geralmente viram historias engraçadas – ou trágico cômicas – para rir pelo resto da sua vida).

E é por isso que fizemos um post sobre a nossa experiência (separadas) na Itália… A minha que vai de Pisa à Veneza… passando por Roma, Ferrara, Luca;

E a Agnes que foi de Roma à Milão, passando por Veneza e Florença e Trento.

(posts individuais sobre Roma, Veneza e Florença)

 

 

O que aprendemos com a Itália:

  • Que países românticos devem ser feitos com mais pessoas (seja um casal… ou uma amiga engraçada)

  • Que deveríamos ter feito esse país juntas

  • Ir sem planejamento de onde dormir… o que fazer… e que cidades visitar nem sempre é a melhor forma de viajar

  • Comer sozinha dá muita preguiça, mas na Itália não tem como não sentar em um restaurante e se deliciar com as massas

By Agnes:

 

Roteiro: Trento/ Madrano/Milão

 

Fui à Trento para conhecer uma parte da minha família, de lá eu iria à Madrano conhecer a famosa Zia Maria, poucos dias antes de eu embarcar não estávamos conseguindo falar com ninguém que lá morava, e meu pai na maior normalidade disse: vá à Madrano e pergunte pela Maria Cristofolini (superrrr sussa… kkkkkkk).

Por sorte, 2 dias antes falamos com o Matteo, meu primo que foi me buscar na estação de trem. Fizemos um pequeno tour por Trento, uma mini cidade, quase na Áustria, fomos aos clássicos duomo, fonte, praça, castelo (mal sabia eu que um outro primo Andrea tinha um restaurante, e lá almocei) e conhecia Zia Rita, Zia Rosa, Andrea, e mais vários familiares. Eu falava em inglês, as vezes português, tentava decifrar o italiano, mas nos entendíamos.

Naquela tarde fomos à Madrano, na casa da Zia Maria, para um super café da tarde. Ainda naquela noite sai com meus primos para uma baladinha tipo “flash back”, me acabei de tomar Apperol Spritz.

 

Dormi na casa da Zia Rosa, e na manha seguinte seu marido super simpático querendo conversar comigo em italiano e eu não entendendo nada, e ele perguntava do meu “fratello”, e eu perguntava em inglês e ele não entendi e eu nada em italiano, as tantas conseguimos um dicionário italiano-inglês, que facilitou a vida… e fratello=irmão… queriam saber do Renê kkkkkkk

 

Nessa noite já fui para Milão!

 

Milão é sensacional para compras!!! Pena que eu estava sem $$$), mas consegui comprar várias coisinhas que estavam em promoção, afinal era fim de inverno. A Via Montelaponeone é um sonho, só aquelas marcas maravilhosas, uma do lado da outra…

 

No centro o duomo é maravilhoso, Galleria Vittorio Emanuele, Via della Spiga, e o melhor sorvete que tomei na minha vida foi lá, de Capuccino, devia estar uns 3°C, mas eu comprei sorvete!!!!

 

Para meu segundo dia, dei uma super volta a pé: Castelo Sforzesco, Parque Sempione, Arco della Pace. Achei Milão meio fraca em relação a pontos turísticos, mas caso esteja por perto, vale uma passada.

 

Naquela madrugada eu ia embora… meu vôo era as 6 da manhã, porém Ryanair sempre sai do aeroporto mais longe do mundo e me informaram que o trajeto até o aeroporto era de 1 hora. Então calculei tudo, saia do hostel às 3h30min, pegava o bus das 4h que saia da estação de trem e às 5h estaria no aeroporto (imaginava pegar um taxi até a estação de trem que era longe). Acordei e não tinha ninguém na recepção do hostel que pudesse chamar um taxi… sai correndo desesperada para a estação de trem, e ainda começou a nevar para minha sorte (imagina eu correndo na neve com uma mochila super pesada). No caminho vi um taxi passado, sai gritando, o taxista estava levando um cara mtooooo bêbado embora de uma balada. Não deu outra, pedi uma carona, e eles deram!!! Kkkkk Enfim, cheguei a tempo de pegar o trem e o avião… de lá eu ia para Pamplona, arrumar minha mudança e em 2 dias voltaria ao Brasil!

 

 

 

By Marcella

 

Roteiro: Pisa/Luca/Ferrara/Bologna

 

A minha ida para a Itália foi Ryanair (para variar)… encontrei um bilhete por 8 euros (de Barcelona até Pisa)!!!

 

De Pamplona até Barcelona eram aproximadamente 5 horas de trem. Mas, a minha melhor amiga estava morando lá (a mesma que foi comigo para Portugal)… então aproveitei para fazer uma visitinha (desde 5ª feira) e passar o final de semana com ela antes de começar a minha aventura (que seria no domingo).

 

A aventura já começou no aeroporto de Girona (Espanha) quando fui pegar o vôo as 6 da manhã. Todo mundo tinha impresso o tkt do vôo sem o código de barras (porque nessas companhias low-cost era cobrado até para respirar!! Então imprimíamos tudo em casa… mas tinha um truque para sair no tamanho certo… e obvio que eu não sabia – depois desse dia eu aprendi). Depois de muita confusão, consegui reimprimir o tkt e embarquei (Mas não fui só eu que tive essa infelicidade… As pessoas começaram a chegar no aeroporto e formou um grupo de mais ou menos 20 e quase rolou uma manifestação na frente do balcão de atendimento… e claro, que tinha mais brasileiros no meio).

 

Minha primeira parada foi em Pisa… e o meu trem já saía no mesmo dia para Luca. Na minha cabeça era só a torre de Pisa que tinha para visitar… e era mesmo!! Ainda sobrou muito tempo para eu andar na cidade sem rumo e sem direção… e muito tempo para eu tirar todas as fotos possíveis e imaginarias com a torre (que pena que eu estava sozinha e não dava para ficar testando as poses… então nem deu muito certo).

 

 

Saí de lá no final da tarde e fui para Luca. E aí vem a pergunta… por que Luca? Porque é a cidade dos meus bisavós… e eu encasquetei na época de ir até lá para encontrar alguma informação da minha família (para conseguir tirar a cidadania italiana)… parecia um bom plano… #soquenao. A única coisa que encontrei foi algumas pessoas com o mesmo sobrenome que o meu (Romani)… e no endereço que o nosso processo de cidadania indicava… morava um “Romani” que sofria de Alzheimer… depois disso… desisti e fui para Florença (que já contei aqui como foi). Ou seja… Luca não teve nada de mais, tirando a pracinha… e a macarronada que comi lá!

 

De Florença, fui para Bologna! Foi uma experiência engraçada… porque uma amiga minha tinha morado lá e falava que era demais. Mas eu não dei muita sorte porque peguei muita chuva (chuva e frio sempre estraga um pouco o turismo ne?), o meu hostel era na PQP (me desculpe) e eu demorava 40 minutos para ir até o centro. Como eu ia ficar apenas 1 dia lá… fiquei um pouco estressada com isso… e acabei conhecendo super rápido a cidade. Mas tirando isso a cidade é bonitinha… e parece que é cheia de festas… mas sozinha, ficava bem difícil (e não conheci ninguém no hostel).

 

Aqui cabe um PS: na Itália foi muito engraçado e diferente de todos os lugares que já visitei em toda a minha vida. Era incrível, não conhecia ninguém (tirando a Mexicana do ultimo dia em Veneza)… parecia que quando eu entrava nos hostels… as pessoas saiam. Bizarro!!!

 

De Bologna eu ia para Veneza direto… mas como tinha um dia todo… resolvi parar em Ferrara (cidade dos pais do meu avô) que é muito bonitinha… meio medieval… cheia de castelinhos. Gostei!!

 

Chegando em Veneza… passei mais 3 dias naquele labirinto (como já contei no post anterior) e para voltar… meu vôo saia de Pisa (desvantagens de voos baratos na Europa). Ou seja, tive que voltar tudoooooo… passando por Florença (e dormindo uma noite lá) e depois Pisa… foi quase uma via sacra essa viagem.

 

 

 

 

 

 

Depois disso você deve estar pensando que nunca mais viajei sozinha ne? Errou!!! Está aí uma das coisas que mais gosto de fazer quando estou estressada… confusa ou com algum problema. Pegar a minha mochila e ir para algum lugar do mundo!

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

You Might Also Like:

Uma volta por Quito

October 4, 2019

Bate-Volta em Quilotoa

October 3, 2019

1/15
Please reload

© 2023 by Going Places. Proudly created with Wix.com