O sobe e desce em San Francisco

May 2, 2014

SUPER DICA: a cidade é cheia de subidas e descidas… então, se for encarar um city tour de bicicleta (ou mesmo a pé) prepare o fôlego!! Dizem que o melhor mesmo é alugar um carro (para os preguiçosos, claro rs)

 

Pontos turísticos que recomendo parar:

  • Golden Gate Park e Golden Gate Bridge (aquela foto clássica embaixo da ponte)

  • Union Square e Civic Center (vale a pena parar para uma foto)

  • Presidio Alcatraz (reserve metade do dia para a visita)

  • Cable Car (é legal andar de bondinho pelo menos uma vez em Downtown)

  • Fisherman’s Wharf e Pier 39 (foi meu lugar preferido para andar, compra e comer).

  • Alamo Square (tem umas casinhas lindas que foi usado como cenário para um seriado)

  • Lombard Street (uma amiga minha me enviou a referencia como “rua maluca” – imagina se eu não procurei no mapa algo do tipo rs

 

Saindo de San Diego, peguei um voo para San Francisco (com escala em Los Angeles). A minha vontade era fazer de carro, mas eu estava sozinha e não valia a pena. E de trem, demoraria mais de 10 horas. No caso, eu quis “economizar” tempo e foi em vão. Porque meus voos atrasaram e eu cheguei 10 horas depois do previsto (mas, como eu estava de férias, nem me estressei, aproveitei para ficar no WIFI e colocar a minha vida virtual em dia, mas clarooo que cheguei em SF bem estressada rs). Chegando em San Fran a minha amiga estava me esperando na casa do namorado dela.

 

Hospedagem: Em San Francisco não fiquei em hostel. Primeiro porque eu tenho uma amiga minha que mora lá e segundo porque não tinha mais vaga no final de semana (a minha sorte é que o namorado dela estava no Brasil e me “alugou” o ap dele – que era o máximo!!! Tipo aquele AIRBNB sabe? Vale a pena sempre olhar os aluguéis de casa/ap (https://www.airbnb.com.br/).

 

 

Cheguei lá e saímos para jantar perto da casa dele. Depois dormi para acordar bem cedo no dia seguinte. O primeiro dia, que estaria sozinha, resolvi fazer todos os programas de turista!! Começando pelo Golden Gate Park. E adivinhem a primeira coisa que eu fiz?? Aluguei uma bicicleta! Andar 4 km no parque parecia um bom plano – ir até a praia e voltar – se eu não tivesse escutado o dono da loja que alugou a bicicleta que disse que era possível ir até a Golden Gate Bridge em um caminho mais fácil de aproximadamente 18km (porque existia um caminho difícil… que tinha muita subida e descida). E eu acreditei (de novo) e pensei: “Ahh eu já faço 16Km na Ciclofaixa… porque não ne?”! Claro que entre um caminho e outro eu me perdi… (e não tinha internet para usar o Waze e Google Maps – então era no mapa de papel mesmo) e isso já fez com que o meu passeio fosse mais longo. Até que cheguei em um local que parecia que ia entrar em uma serrinha (descida) e fiquei um pouco assustada e parei em um lugar de Golf. O funcionário disse que eu estava certa… que era só ir reto na estradinha mas que antes eu tinha que parar em um mirante. Realmente o mirante era lindo e conheci 2 meninos que tiraram foto para mim bem estilo californianos sabe? Rs (as meninas vão entender o que estou dizendo). Entre uma conversa e outras eles me disseram que moravam no “presidio” e eu como uma boa paulistana (medrosa) já fui dando tchau e indo embora (até que descobri a noite com a minha amiga que Presídio era o bairro mais chique de San Fran – ok, perdi a oportunidade da minha vida de me mudar para os EUA rs).

 

Voltando ao passeio de bike praticamente eu era a única pessoa que estava fazendo aquele caminho e de vez em quando passava uns ciclistas profissionais do meu lado (e deviam pensar quem era a perdida lá pedalando devagar e parando para tirar foto). Além de pensar que eu nunca iria chegar na ponte me desesperei um pouco em pensar na volta (será que eu iria ter que subir a mesma serrinha para entregar a bike??). Bem cansativo esse passeio mas com certeza uma das melhores experiências da minha vida durante uma viagem. Até que eu avistei a famosa ponte de San Francisco e quem disse que eu conseguia chegar??? Que infeeernooo!!! Não tinha uma placa… uma sinalização e dependendo de onde eu fosse, eu iria cair na parte dos carros (aí sim ia ser perigoso!). Depois de um tempo achei o caminho, entrei na ponte, fiz o que todo turista faz e voltei (para mim, foi a parte mais sem graça rs). Mas ainda não estava contente porque queria a foto que todo mundo tinha (embaixo da ponte). Depois de mais uns 50 minutos eu consegui chegar. Eis que peço para um japa tirar a foto e juro, ele tirou umas 3 fotos... SEM A PONTE!!! (o que as pessoas tem na cabeça quando pedimos para tirar uma foto junto com uma paisagem/arquitetura famosa?? Que eu quero uma foto minha sozinha sem a paisagem??? Isso é incrível e sempre acontece!). Me irritei, tirei uma selfie (de qualquer jeito) e fui embora (Ahhh e aí descobri que existia um caminho mais fácil para a volta – sem subidas!!!). Mas não estava contente. Cheguei até lá e não teria nenhuma foto legal? (sim, eu sou viciada em fotos). Decidi seguir meu caminho em direção ao Pier 39 (porque eu tinha hora para entregar a bike). Até que eu achei um pilar para apoiar a câmera e aí sim eu tive a melhor ideia da minha viagem: colocar a câmera em modo movimento e automático: olhem o resultado da foto!!

 

 

Depois dessa foto eu segui meu caminho até o final e entreguei a bike as 17h30 no lugar indicado (Detalhe: peguei a bicicleta as 10am e sabe os 18km??? Viraram 30km fáaacil!! Ainda bem que eu estava preparada ne? Rs).

 

Além de tudo, ainda tinha que ir correndo pegar o metrô porque tinha comprado um espetáculo do Ballet de San Francisco para assistir às 20h e ia encontrar a minha amiga no teatro (mas eu ainda tinha que passar em casa para me trocar). No final, deu tempo e cheguei no teatro. Contei a minha aventura para a minha amiga (ela não parava de rir). Assistimos o ballet (que foi maraaavilhoooso) e depois saímos para comer um sanduíche (daqueles bem americanos).

 

No dia seguinte o programa seria bem menos turístico e mais gastronômico. Começamos com o famoso brunch no bairro Mission. E logo depois fui conhecer os brechós (mas confesso que sou um pouco preconceituosa de comprar roupas usadas e não consegui comprar nada, ainda bem!!!!). De lá, saímos andando para um parque lindo (Dolores Park) e depois fomos andando até o Gonden Gate Park de novo. No caminho, passamos por uma sorveteria deliiiciiiooossaaa chamada Smitten Ice Cream (é um sorvete de hidrogênio… é incrível, sério!). É bem local e nunca ouvi ninguém falando dela aqui no Brasil.

 

A noite resolvemos ir comer pizza estilo Chicago e depois fomos numa “House Party” (bem coisa de americano). Mas infelizmente a festa não estava muito boa (masss tinha copos de plásticos vermelhos)!!

 

No dia seguinte acordei bem cedinho porque comprei ingresso para o Alcatraz (a prisão na ilha). É bem legal o passeio mas confesso que fiquei com a energia um pouco pesada – me falaram isso antes de eu ir e eu não acreditei que era verdade. De lá, fui para Sausalito (a cidadezinha depois da Golden Gate Bridge). Cheguei na hora do almoço e fui direto no lugar que tinham me indicado para comer – uma portinha com uma fila – O MELHOR SANDUICHE DA MINHA VIDA!! Sério!! (não me lembro o nome… mas a portinha com a fila é inesquecível).

E foi assim a minha aventura em San Francisco: muito exercício e bem alimentada!

 

Queria agradecer a Chris Poppi que me recebeu durante esses 3 dias e me acompanhou em muitos desses passeios (principalmente os não turísticos e a parte de comer!!!).

 

#porumavidasemrotina

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

You Might Also Like:

Uma volta por Quito

October 4, 2019

Bate-Volta em Quilotoa

October 3, 2019

1/15
Please reload

© 2023 by Going Places. Proudly created with Wix.com