Portugal: poucos dias e muitas paradas!!!!

November 13, 2014

5 coisas para fazer em Portugal:

  1. Comer leitoa da bairrada, Pastel de Belém (a parte do bacalhau nós passamos!!)

  2. Aquele pedido básico na Igreja de Santo Antonio, em Lisboa

  3. Clássica foto tomando um café com Fernando Pessoa

  4. O passeio por Belém é indispensável

  5. Ir a praia

 

 

Pegamos um vôo de Madri para Cidade do Porto, ficamos lá só uma noite… é super bonitinho, mas bem complicado andar naquelas ruelinhas (acho que ficamos umas 2 horas tentando achar um caminho para algum restaurante… e quando chegamos na “rua” dos restaurantes, só tinha peixe de comida… sentamos em um boteco para tomar uma cerveja e comer um pão com queijo).

Dormimos em um albergue, pois na manha seguinte encontraríamos uma amiga minha no aeroporto e pegaríamos carona com a vó dela para Aveiro (eu ia ficar na casa dela em Aveiro). Ah! No aeroporto encontramos a Ana Maria Braga!!!! Obviamente tietamos e tiramos foto.

 

No dia seguinte nos separamos, eu fui com a Família da Paolinha em Aveiro e a Agnes para casa da família dela….  A Agnes encontrou alguns parentes na estação de trem de Aveiro, e de lá foi para a “terrinha da família”: Sever do Vouga, uma minúscula cidade no meio de Portugal, passou os dias indo de casa em casa, conhecendo as Tias Avós, primos (apenas o avô dela mudou para o Brasil quando era jovem…), e mesmo naquela pequena cidade, conseguiu junto com sua prima Marta, pegar uma baladinha e beber absinto kkkkk. Tb comeu a famosa leitoa da bairrada, e os ovos moles (doce típico da região!!)

 

Em Aveiro, fiquei com a minha melhor amiga (que estava estudando na Espanha também), na casa da avó dela, passeando um pouco, comendo e dormindo bem!! Uma das melhores histórias que lembro dessa viagem foi quando pegamos o carro da avó dela… e não encontrávamos mais o caminho de volta. Foi quando eu tive uma grande ideia de perguntar no ponto de ônibus para um menino (mais ou menos da nossa idade) onde era a rua “x”… e aí ele me disse (com aquele sotaque de português – que eu amo): Olha, você pode ir reto, pegar a estrada e depois virar na “tumba”. Falei muito obrigada, fechei a janela e, com uma cara meio desesperada disse para a minha amiga: “F**, estamos muitoooo longe… temos que pegar uma estrada… e ainda vai passar por uma tumba. Onde estamos????”. Ela não se aguentou de tanto rir…  e me explicou que estrada era a rua em que estávamos… e a “tumba” era a “rotunda” que significa rotatória. Nem preciso dizer que depois de 5 minutos estávamos na casa da vó dela, sã e salvas kkk.

Fui para Lisboa 2 dias antes da Agnes… junto com a minha amiga e com as primas dela (que são portuguesas também). Então, de maneira rápida, conheci a cidade com elas (e fiquei impressionada como as pessoas que moram lá sabem explicar tudo sobre a historia e os pontos turísticos – me imaginei no centro de SP dizendo, esse é o Teatro Municipal, esse é o Mercadão… e só!!! Essa é a grande diferença com a Europa… na minha opinião).

 

 

Depois de alguns dias, minha amiga ia voltar para a Espanha (porque ela fazia um Master e tinha que ir nas aulas) e eu e a Agnes íamos ficar mais um tempo (nem sei porque podíamos ficar mais dia lá e não perder aulas também… acho que era feriado em nossa cidade, algo assim rs). Combinamos de nos encontra em Lisboa mesmo (mas, a Agnes como sempre estava sem celular, o que dificultava um pouco. Para piorar… eu não encontrava o hostel, nem a rua, nem o numero, enfim… fiquei desesperada… como ia encontrar com ela??? E onde eu ia dormir??? – Um smartphone com internet faria toda a diferença nessa época. Mas, nós duas tivemos a mesma ideia… ir para um

cyber café e tentar a comunicação… e aí ela me passou as coordenadas para chegar lá!!) Quando cheguei no albergue ela não estava, já tinha saído com uns alemães e canadenses para uma praia… só nos encontramos a noite.

 

O albergue era terrível… uma casa pequena, sem nenhuma estrutura, e apenas um banheiro… que por sinal entupiu… Foi a primeira vez (e a última rs) que a Agnes ficou responsável pela escolha do hostel (era a 2ª vez que estávamos viajando juntas). Quando encontrei com ela, perguntei como ela tinha escolhido aquele muquifo e ela tinha gostado tanto de gastar pouco em hostel que não teve dúvidas e fez o ranking por preço e pegou o mais barato… quase matei ela (mas depois ela aprendeu que a escolha de um hostel envolve algumas variáveis como preço, localização, recomendação hahaha).

 

 

Lisboa é apaixonante… (um mistura de Madri e Barcelona, eu diria), fora a história… os monumentos (tudo aquilo que aprendemos um dia na escola,  fazia sentido) andamos mtoooo…  fomos obviamente à igreja de Santo Antonio (afinal ninguém aqui quer ficar solteira kkkkk mas só deu certo para a Agnes… o meu Santinho que eu trouxe continua de cabeça para baixo… de castigo rs), ao Castelo de São Jorge (a Agnes Corinthiana pirou!!!), a famosa estatua do “Café com Fernando Pessoa”, sem contar as inúmeras lojinhas que parávamos, uma a uma. Já em Belém, o Monumento do Descobrimeto, a Torre de Belém, e os pasteiszinhos são maravilhosos! O outro dia ir tiramos para a praia….

A noite, além das pessoas malucas do nosso hostel jantando com a gente… queríamos badalar (claro)… mas não descobrimos nenhuma balada que nos encorajava ir… então seguimos a dica de alguém e fomos ao famoso bairro alto, uma rua cheia de barzinhos… meio universtiaria… e lá iniciamos nossa peregrinação… que foi andar pelas ruas, procurando pessoas legais e divertidas para uma boa conversa!! Confesso que estávamos muito cansadas nesse dia… e chegamos a conhecer um pessoal… entrar em uns bares… tomar uma cerveja… mas não duramos mais do que 3 horas nessa noite… e voltamos para o hostel.

 

 

 

Apesar de não termos muito tempo em Portugal, nos apaixonamos por aquela terra, super indicamos a viagem!!!!

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

You Might Also Like:

Uma volta por Quito

October 4, 2019

Bate-Volta em Quilotoa

October 3, 2019

1/15
Please reload

© 2023 by Going Places. Proudly created with Wix.com