Buscar

Perdida no Japão: Tóquio


Shinjuku

A aventura começou por Tóquio, antes de ir eu havia pegado na internet o mapa do metro da cidade para já ter idéia de como ir do aeroporto para meu hotel, fiquei desesperada ao ver esse mapa, é gigante, mas descendo no aeroporto de Narita, troquei meu JR Pass (o bilhete de trens que citei no post anterior) e não tem erro, me encontrei facilmente.

Cheguei já tarde no hotel, foi só uma voltinha na região de Shinjuku para jantar mesmo.

No primeiro dia, já fui para a Tokyo Disney Sea. Em Tóquio tem a Disneyland (como as demais do mundo) e a Disney Sea que é única, optei pela segunda. Como tudo no Japão, estava lotada, muitas filas, mas bem legal, vale muito mais pelo parque em si que é lindo do que pelos brinquedos, mas me divertir (OBS: lá o castelo de princesas é o da Ariel, tão tão lindo).

Disney Sea

No segundo dia andei muito pela cidade, comecei pelo Palácio Imperial e Parque Ueno (desci no metro Tokyo Station), vale a ida é um lugar clássico, mas não se pode entrar no palácio, então é só a vista de fora mesmo (se tiver pouco tempo, sinceramente, não sei se compensa a ida).

Palácio Imperial

De lá, fui para o bairro de Ginza (desci na Ginza Station), é realmente para passear, a avenida principal Chuo Dori, com lojas de todas as marcas imagináveis, lindas e caras rssss, lá tem mais de um shopping, se tiver interesse em ver roupas, sapatos, jóias... A pé passei pelo Teatro Kabuki-za e fui ao mercado de peixes Tsukiji Fish Market, nas ruas cerca do mercado, já encontrei lojinhas com comidas típicas, muitas coisas estranhas por sinal (o ideal é ir no mercado as 4/5 horas da manhã, como fui tarde não vi os leilões de peixes, e nem estava mais tão cheio).

OBS: nas barraquinhas ao lado do mercado as pessoas ficam entregando coisas estranhas comestíveis para provarmos, provei de tudo, mas... não gostei de nada (alga, peixe seco, lula seca..)

A próxima parada foi o Templo Senso-Ji (asakusa station), incrível, muito turístico e em frente tem milhares de barraquinhas para comprar souvenirs. Muito perto fica a famosa torre de TV, que dizem ter uma vista incrível, porém começou um temporal e optei por não subir (afinal não veria nada de lá). A noite, mais uma andada por Shinjuku.

Senso-ji Temple

No terceiro dia peguei o trem para Kamakura, uma cidadezinha que tem o Buda gigante de bronze. Demorei cerca de 1 hora de trem e lá se pega um outro trenzinho dentro da cidade. É super pequena, mas fofa, com vários restaurantes e templos e o Buda é incrível!

Budha de Kamakura

Na volta parei em Shibuya (Shibuya Station), já na saída da estação tem a famosa estátua do Hachiko (a história do cachorro que ficava todos os dias esperando seu dono na estação, mesmo após a morte dele – Filme: Para sempre ao seu lado), na saída da estação também está o cruzamento de rua mais famoso do mundo, com as várias faixas de pedestre sem lotadas.

Shibuya é ideal para compras, várias lojas acessíveis de tudo o que quiser, lá está a famosa loja Tokyo Hands, que vende o que vc imaginar lá rssss.

Shibuya

A noite fui até Ropongi, o bairro de bares e baladas, é bem interessante! e dei aquela passadinha básica no Hard Rock Tokyo! Quarto dia em Tóquio, fui para o parque Fuji-Q Highland, que tem 3 montanhas russa que estão no Guinness Book, pelo site já dá para fechar o ônibus até o parque (www.fujiq.jp). As filas das montanhas são enormes, mas vale ficar, e também tem diversos outros brinquedos bem legais. Do parque é possível ver o Monte Fuji, porém o tempo estava muito fechado e não vi nada.

Fuji-Q Highland

Tóquio é uma cidade incrível, porém precisava de pelo menos uma semana para ver tudo o que tinha vontade. É um caos organizado!

Coloquei aqui no post a planilha que eu havia feito com os pontos que desejava ir (nem todos consegui), que pode ser útil!!! De Tóquio peguei o trem para Kioto.

#porumavidasemrotina


0 visualização

© 2023 by Going Places. Proudly created with Wix.com